Congregação dos Religiosos de Nossa Senhora de Sion

Uma Receita de Agradecimento

Adriana Dreer Carreira de Santiago

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Minha experiência com os Religiosos de Sion se deu em minha paróquia com o estágio pastoral de três religiosos em momentos diferentes. O que tenho a destacar é a valorização do conhecimento de Deus através da cultura judaica.

Como cristã, conhecer os Religiosos de Sion me fez compreender melhor o amor de Deus pelo seu povo, tirou dos meus olhos vendas que existiam quanto ao povo judeu, me fez entender o quanto é necessário conhecer de onde surgiu Nosso Senhor Jesus Cristo, pois nós cristãos relutamos em dizer que Jesus é judeu, como se ele tivesse nascido cristão.

O apreço dessa congregação pelo estudo, e pelas formações que recebi, me fez entender que, quanto mais conhecemos a nós mesmos, mais nos aproximamos de Deus. Também me fez entender a necessidade de estar em constante aprendizado em relação a Igreja, através do estudo da Palavra de Deus e do Catecismo da Igreja Católica, e também pelo cuidado com a Liturgia da missa.

Fez diferença também conhecer algumas palavras da Língua Hebraica, que acrescenta no conhecimento da Palavra de Deus, me fazendo entender termos até então não conhecidos.

Na catequese das crianças, tivemos a vivência do fazer memória do Shabbath, que nos enriqueceu quanto ao conhecimento da tradição judaica, ligada diretamente à Eucaristia. Aprendemos a fazer o pão chamado Chala (pronuncia-se “rala”), trazendo para a vida pessoal esse pão, partilhando em família, e fazendo parte até de momentos dos encontros com as crianças, quando se trata de partilha.

O interessante na feitura desse pão é que, no desenvolver da receita, é pronunciada a benção do pão como gratidão a Deus pelo alimento. Penso que nós cristãos devíamos nos fundar mais na espiritualidade da gratidão.

A produção do pão chala contribuiu para a compra de tecidos para as vestes dos cerimoniários em minha paróquia (Santa Ana, Ribeirão Pires); ajudou também a divulgar um pouco da cultura judaica, pois, com o pão, seguia o seguinte cartão:

 

É o mais tradicional pão judaico, cujo termo significa “a porção do sacerdote”

BENÇÃO AO COMER CHALÁ

Baruch ata IAH Elohenu Melech haolam hamotzi lechem min haaretz.

Bendito és Tu, nosso Deus, Rei do Universo, que fazes surgir o pão da terra

Posso dizer que o pão chala é, em minha vida, um divisor de águas, passou a fazer parte do cardápio da nossa família, partilhando-o com amigos, e principalmente, fazendo memória do aprendizado da convivência com a Congregação dos Religiosos Nossa Senhora de Sion.

Adriana Dreer Carreira de Santiago
Ribeirão Pires - SP
instagram.com/dreersantiago

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Congregação dos Religiosos de Nossa Senhora de Sion
portal@sion.org.br