Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Londres: um Domingo in Red ou in Blue

Se subirmos no mais alto prédio de Londres, o The Shard London Bridge, e olharmos todos os detalhes que a visão 360 graus permite, veremos que Londres está repleta de Igrejas. Mas se você conhece um pouco de história, você vai-se lembrar de que a religião oficial da Inglaterra e da Rainha é o Anglicanismo…

nayon-1

Nayon Nigel Cezar

31 de Agosto de 2019

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Quando pensamos em Londres talvez a primeira coisa que nos venha a cabeça seja a rainha, o Big Ben ou o chá das cinco, que é na verdade às quatro. Nos imaginamos indo para um reino, com príncipes e princesas que andam em carruagens e cavalos brancos. Carruagens até que as há, mas são agora bem maiores e chamamo-las “metrô,” ou melhor “underground”; e claro cabem bem mais que três pessoas. 

Jocosidades à parte, foi assim que me aventurei na terra da rainha passando cinco meses numa imersão tanto cultural quanto linguística. A cidade se destaca pelo tamanho, pela rica cultura e pelos pontos turísticos mais conhecidos do mundo, e também pelos inúmeros carros, ônibus, uma infinidade de prédios cada um mais alto e bonito que o outro, e claro, milhares de pessoas que andam em todas as direções falando as mais variadas línguas, como se ninguém se entendesse; na verdade acho que ninguém se entende mesmo!

Porém, quando a euforia dos primeiros dias chega ao fim, nos damos conta de que existe uma vida paralela a todo este glamour, porque afinal nem só de fish and chips vive o homem.

Cinco meses em qualquer metrópole já são um grande desafio, ainda mais quando não se domina suficientemente o idioma local. Todavia, como tudo na vida, é preciso coragem para sair de casa e assumir os riscos. Eu como bom brasileiro coragem não me faltou, até que chegou meu primeiro domingo e me deparei com meu grande desafio, o de descobrir em que igreja ir para a missa.

Se subirmos no mais alto prédio de Londres, o The Shard London Bridge, e olharmos todos os detalhes que a visão 360 graus permite, veremos que Londres está repleta de Igrejas. Mas se você conhece um pouco de história, você vai-se lembrar de que a religião oficial da Inglaterra e da Rainha é o Anglicanismo – essa é aquela famosa história do rei que queria anular seu casamento com a esposa para poder se casar com Ana Bolena e teve o pedido negado pelo papa, levando-o a romper com a Igreja de Roma em 1534.

Fatos históricos à parte, isso nos leva a uma questão: como descobrir a que igreja eu devo ir se elas são praticamente iguais no seu exterior? Como eu disse, Londres possui diversas igrejas sendo cada uma mais bonita que a outra. Duas igrejas especiais, porém, de que gostei muito foram a Saint Paul’s Cathedral e a Westminster Abbey.

Na primeira, além da grande beleza interna e externa, também é possível explorar a área da cripta e as galerias superiores (espero que tenham fôlego para subir escadas, elas são muitas). A cripta mais famosa é a da Galeria dos Sussurros (Whispering Gallery), que tem uma acústica única; dizem que um sussurro na galeria pode ser escutado por qualquer um, a qualquer distância. Já a Westminster Abbey é, sem sombra de dúvidas, a mais importante e bela igreja de Londres, pois é aí que acontece a coroação de todos os monarcas ingleses desde 1066.

Mas que horas é a missa? Bom, eu não sei, só para lembrar, ambas são anglicanas. Diante dessa grande dúvida, a de indentificar uma igreja católica, eu perguntei a uma amiga que me pôde salvar nesse grande dilema. Ela me explicou que existem alguns detalhes no exterior das igrejas que nos permitem saber. O primeiro obviamente é o nome e abaixo dele a designação se é uma igreja anglicana ou católica romana. O segundo detalhe que me chamou mais atenção é uma questão de cores.

Na entrada de todas as igrejas existe um quadro que contêm as informações sobre missas e avisos paroquias. Porém, em algumas igrejas as cores estão em azul e outras em vermelho. Isso não é fascinante? Se você não conhece muito bem a língua de Shakespeare basta saber a cor! Então, afinal qual é a cor de cada igreja? Se eu contasse perderia a graça, você precisa ir a Londres e descobrir.

Ir. Nayon Niguel Cezar

Jerusalém

Compartilhe com seus amigos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter